BLOG

Movimento GIFTBox chega à Belo Horizonte em abril!

Ajude sua família! Viaje pelo mundo! Realize seus sonhos! Ganhe muito dinheiro! Conquiste o emprego dos seus sonhos! (...) O Movimento GIFTBox foi criado no Reino Unido pela Organização Stop The Traffik, em cooperação com a Iniciativa Global das Nações Unidas contra o Tráfico Humano (United Nations Global Iniciative to Fight Trafficking - UN.GIFT). A primeira ação da campanha foi realizada durante as Olimpíadas de Londres, em 2012, com o objetivo de fortalecer o movimento mundial de Enfrentamento ao Tráfico Humano. O movimento utiliza grandes "caixas de presentes" (GiftBox), que são instaladas em lugares públicos e simbolizam a maneira como os traficantes enganam suas vítimas com falsas p

"O que ser uma aeromoça me ensinou sobre o tráfico de pessoas", por Heather Poole

Algum tempo atás, a bordo de um vôo de Los Angeles para Nova York, um grupo de jovens meninas usavam nada além de calças jeans e camisetas - em pleno inverno. Elas não falavam inglês, nem conversaram umas com as outras durante todo o vôo. Lembro-me de pensar que era estranho, mas não sabia o que fazer com relação a isso. Minha mãe, uma comissária de bordo aposentada, conta que, certa vez, um homem viaja com uma adolescente - eles não pareciam ser parentes ou amigos. "Quando perguntei à menina o que ela gostaria de beber, ele respondeu por ela", disse minha mãe. "Eu achei estranho, já que eles não falavam um com o outro. Se eu soubesse mais sobre o tráfico humano, eu poderia ter iniciado uma

RESULTADO - Seleção de alunos extensionistas

Felicitamos os onze selecionados para as vagas disponíveis na CTETP! Compareçam no 16º andar do prédio da pós, no dia 1º de abril, às 11:15 :) CANDIDATOS APROVADOS DENTRO DAS VAGAS Clara Oliffson Kamphorst Leal da Silva Anna Clara Fernandes Carvalho Beatriz Vasconcelos Coelho Melo Yasmin Mencher Marcus Vinícius de Freitas Teixeira Leite Laura Torres Martins Clara Rodrigues Blach Gustavo Augusto Sant’Ana Fonseca Marcela Rage Pereira Renata Erina Kato Lucas Fernandes Monteiro O resultado completo pode ser acessado em: http://media.wix.com/ugd/635046_57313319bfa14da49ba467a90e1c6060.pdf

VENCEDOR - Concurso de Logo

É com muita alegria que a CTETP anuncia como vencedor do Concurso de Logo o aluno: Felipe Manoel de Carvalho Parabéns, Felipe! Compareça ao 16º andar do Prédio da Pós, no dia 1º de abril, às 11:15, para receber seu prêmio! Em breve divulgaremos a arte.

O que acontece quando blogueiras de moda vão trabalhar em fábricas têxteis no Camboja

Muitas vezes, os fashion lovers se esquecem de todo o lado negativo que há por trás da indústria da moda. Mesmo com diversas histórias sobre pessoas que encontram bilhetes de trabalhadores escravizados escondidos em brinquedos ou mesmo em etiquetas de roupas, na hora de fazer compras muitos ignoram a existência dessas condições de trabalho. Mas um novo reality show pretende mudar essa realidade! O programa norueguês SweatShop: Dead Cheap Fashion encontrou uma maneira interessante de denunciar as péssimas condições de trabalho às quais são submetidos alguns dos trabalhadores que criam as peças de roupas que nós usamos. Para isso, três blogueiros de moda do país foram convidados a passar um mê

A Lava Jato e o trabalho escravo: quem paga pela corrupção na construção civil

Investigadas pela Polícia Federal, construtoras OAS, Odebrecht, Camargo Correa e Andrade Gutierrez apresentam extensa ficha corrida de violações trabalhistas Caso um. Em uma casa da periferia de Guarulhos, em São Paulo, 38 homens se amontoavam no espaço de quatro quartos e dois banheiros. Muitos dormiam na cozinha, outros, debaixo da escada. Não havia colchões para todos - os habitantes tinham de dividi-los entre si ou dormir no chão, enrolados em lençóis. Faltavam fogão e geladeira, nem a água chegava todos os dias. Vindos do Pernambuco, os operários aguardavam para trabalhar na ampliação do aeroporto de Cumbica, obra da OAS, em 2013. A promessa era de carteira assinada, salário de R$ 1.412

Páscoa chegando: conheça marcas de chocolate acusadas de explorar o trabalho escravo infantil (e aqu

Grande parte do cacau usado para fazer chocolates ao redor do mundo vem da Costa do Marfim, África. É altamente provável que os grãos que fazem sua barra de chocolate favorito venham de lá. A cultura do cacau é considerada artesanal, pois necessita de mão de obra em todas as etapas de plantio - desde a colheita até a entrega das sementes às fábricas de chocolate. Quando maduros, os frutos são colhidos e, com um golpe certeiro de facão, abertos com cuidado - para não atingir os cachos de sementes, que devem ser debulhadas e selecionadas. Em seguida, sementes e polpa são postas para fermentar. O trabalho é árduo e perigoso. A realidade chocante é que muito deste trabalho é feito por crianças.

Aula de Direito do Trabalho para haitianos

No último dia 19/03/2016, sábado, alunos da Clínica de Trabalho Escravo e Tráfico de Pessoas da UFMG ministraram uma aula de Direito de Trabalho, com colaboração da professora Lívia Miraglia, para haitianos residentes em Contagem/MG. Este é mais um resultado da parceria entre a Clínica da UFMG e o Centro Zanmi!

Saiba mais sobre os 550 trabalhadores resgatados do trabalho forçado na Índia

Mais de 550 pessoas, incluindo mulheres e crianças, foram resgatadas da escravidão na Índia, no que está sendo considerado a maior operação de resgate já executada pela organização 'International Justice Mission' (IJM). Centenas de famílias foram liberadas do trabalho forçado em um forno de tijolos na periferia de Tiruvallur, Chennai (Índia), na quarta-feira da semana passada. A instituição já tinha participado de outra operação na mesma fábrica, em 2011, quando mais de 500 pessoas foram resgatadas. O proprietário do local - que fugiu na primeira operação - foi preso junto a outros cinco cúmplices de uma rede de tráfico organizado. De acordo com a IJM, a operação destaca a necessidade crític

Pará inclui debate sobre Direitos Humanos na sala de aula

No Pará, o enfrentamento ao tráfico de pessoas e ao trabalho escravo será trabalhado em três escolas estaduais a partir do ano letivo de 2016. O projeto “Direitos Humanos Em Cena” foi apresentando ontem às escolas onde a dinâmica será desenvolvida. O projeto visa integrar esferas governamentais para atuarem na prevenção ou na promoção da defesa da dignidade da pessoa humana em uma região com particularidades sociais, econômicas e geográficas que tornam vulneráveis crianças e adolescentes ao tráfico de pessoas e ao trabalho escravo. De 2011 a 2015, a Coordenadoria de Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas e ao Trabalho Escravo da Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh) atende

Relatório de ONG dinamarquesa revela escravidão e trabalho infantil na produção de café no Brasil

O Brasil é o maior produtor e exportador mundial de café e a existência de graves problemas trabalhistas na produção do grão no país é o foco de um relatório que acaba de ser lançado pela ONG dinamarquesa Danwatch. A investigação chama a atenção para flagrantes de casos de trabalho em condições análogas à escravidão, trabalho infantil e uso de agrotóxicos perigosos em lavouras brasileiras. A ONG viajou para Minas Gerais, estado em que metade do café do Brasil é cultivado, visitou plantações e entrevistou trabalhadores, sindicatos, especialistas e autoridades locais. A Danwatch acompanhou a polícia e o Ministério do Trabalho e Emprego do Brasil em uma inspeção na qual dezessete homens, mulher

Costureiras bolivianas que foram libertadas no Brasil criam sua própria oficina e contam sua históri

É comum marcas populares e grifes renomadas terceirizarem a sua produção de roupas para dimunuir custos e se eximir de cumprir os direitos trabalhistas. Infelizmente, essa falta de controle sobre os fornecedores abre portas para o trabalho em condições análogas à escravidão e outras infrações nas oficinas de costura. O Ministério do Trabalho e Emprego relatou que, entre 2003 e 2014, foram fiscalizados 34 casos de trabalho escravo, dos quais foram libertados 452 costureiros de oficinas fornecedoras de marcas populares e de “grife” - a maioria no estado de São Paulo. Duas irmãs bolivianas foram trazidas para o Brasil com a promessa de uma vida melhor, mas, ao chegarem, elas se depararam com um

Estão abertas as inscrições para o processo seletivo 2016!

A Clínica de Trabalho Escravo e Tráfico de Pessoas da Faculdade de Direito da UFMG faz parte de uma experiência pioneira na formação de um sistema internacional de clínicas de Direito e tem como base três eixos indissociáveis: ensino, pesquisa e extensão. Seu foco de atuação é o combate aos crimes de trabalho em condições análogas à escravidão e tráfico humano, infelizmente ainda muito presentes no mundo em que vivemos. Se você deseja fazer parte da nossa equipe, ATENÇÃO: a CTETP da Faculdade de Direito da Universidade Federal de Minas Gerais informa que está aberto o PROCESSO SELETIVO destinado ao preenchimento de vagas de extensionistas. Podem se candidatar alunos regularmente matriculados

Conheça a Campanha Coração Azul no Brasil

A Campanha Coração Azul é uma iniciativa de conscientização para lutar contra o tráfico de pessoas e seu impacto na sociedade. O trabalho busca encorajar a participação em massa e servir de inspiração para medidas que ajudem a acabar com o tráfico de pessoas. O tema merece ser lembrado no Dia Internacional da Mulher, tendo em vista que meninas e mulheres são as principais vítimas do tráfico humano, representando aproximadamente 70% das pessoas traficadas em todo o mundo. Um relatório global das Nações Unidas indicou que a exploração sexual é a finalidade mais comum do tráfico de pessoas, seguida pelo trabalho escravo contemporâneo. A ONU informou que as vítimas deste crime são de 152 naciona

Alunos da Universidade de Michigan visitam a CTETP da UFMG

A Faculdade de Direito da Universidade Federal de Minas Gerais trabalha em parceria com a Universidade de Michigan na execução e manutenção de suas Clínicas contra o trabalho análogo à escravidão e o tráfico de pessoas. A ideia da colaboração surgiu quando o coordenador da Clínica brasileira, Carlos Haddad, estava na U-M como bolsista pesquisador do programa "Michigan Grotius", no segundo semestre de 2014, e conheceu a diretora da clínica da U-M, Bridgette Carr que, por sua vez, ficou sabendo que Haddad tinha decidido mais de 50 processos criminais envolvendo trabalho escravo no Brasil. Neste contexto, os dois começaram a discutir um modelo de clínica que poderia ser aplicado no Brasil. A cl

Comitê específico discutirá situação de refugiados e migrantes em Minas Gerais, além de contribuir p

A situação dos refugiados e migrantes é uma preocupação global e possui desdobramentos pontuais em países, estados e cidades. Questões como acesso à saúde, educação, moradia, trabalho e outras dificuldades enfrentadas por esses grupos de pessoas tem desafiado e exigido a tomada de atitude do poder público. O Governo do Estado de Minas Gerais criou o COMITRATE (Comitê Estadual de Atenção ao Migrante, Refugiado e Apátrida, Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas e Erradicação do Trabalho Escravo). Os membros, representantes dos poderes públicos estadual e da sociedade civil, tomaram posse no final do mês de janeiro deste ano. Em entrevista à Agência Minas Gerais, o subsecretário de Promoção e Defe

Nossas Redes Sociais
  • Facebook Social Icon
  • YouTube
  • Instagram
Participe!
Assine o nosso manifesto contra o PLS 432/13 e o PL 3.842/12, que pretendem reduzir o conceito de trabalho escravo contemporâneo no Brasil. 
Arquivo

CONTATO

+55 31 9 9449-2272
Endereço 
Av. João Pinheiro, 100
Edifício Villas Boas, Sala 1404

Belo Horizonte, MG 30130-180

Atendimento ao público

Segunda, terça, quarta e sexta

11h30min às 13h30min

  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram